quarta-feira, 31 de março de 2010

HOLANDA DETONA SEGURANÇA


Holanda voltar a criticar caos na segurança do Estado

O líder da oposição na Assembleia Legislativa, deputado Edivaldo Holanda (PTC), voltou a criticar, na sessão desta terça-feira (30), o modelo de Segurança Pública implantado no Maranhão pela governadora Roseana Sarney (PMDB) e gerido pelo secretário Raimundo Cutrim.

Holanda citou como mais um exemplo de “caos” no setor da Segurança Pública notícias, veiculadas em vários jornais impressos, revelando assassinatos e casos de tortura ocorridos dentro de unidades prisionais maranhenses.

As situações de mortes e tortura dentro de presídios do Estado fizeram com que o ouvidor nacional da Secretaria de Direitos Humanos, Firmino Fechio, viesse a São Luis esta semana participar de uma audiência pública realizada na própria Assembleia sobre o assunto.

“No governo do doutor Jackson Lago, o Maranhão foi o primeiro Estado a aderir ao Programa Nacional de Segurança com Cidadania. Através deste programa, o Estado começou a receber recursos federais para fazer investimentos no setor, como a construção de cinco novos presídios. Tão logo assumiu o governo, a governadora aceitou do seu secretário Cutrim, a infeliz ideia de desmontar a segurança cidadã no estado. Resultado disto foi o aumento da violência de forma avassaladora em todo o Maranhão. A execução sumária passou a ser a ordem do dia. Agora o Governo Federal puxa as orelhas do secretário, quando o mesmo é acusado de praticar torturas dentro de delegacias e presídios, além de inúmeros casos de mortes de presos dentro do sistema”, afirmou Holanda.

Edivaldo Holanda garantiu que espera ansiosamente o retorno do deputado estadual Raimundo Cutrim à Assembleia, para cobrar explicações sobre o caos que se instalou na Segurança Pública do Estado. “Quando o deputado Cutrim retomar a sua vaga de deputado, estarei aqui, neste plenário, para cobrar explicações”, disse Holanda.

Agência Assembleia

segunda-feira, 22 de março de 2010

Reunião em Cajari sobre o projeto de perenização das águas

Aconteceu neste domingo na Paróquia da cidade de Cajari, uma reunião precursora para discutir com os moradores e sociedade geral, o projeto de perenização das águas doces da baixada ocidental e suas consequencias para os municípios da região. O professor Manoel Carlos Bordalo, um dos autores do projeto, fez uma exposição minuciosa sobre os principais pontos do projeto.

Várias lideranças políticas e representantes da sociedade estiveram presentes, além dos moradores, o vereador Adalto, ex-prefeitos etc. O evento contou com a participação com a participação do presidente da Assembléia Legislativa, deputado Marcelo Tavares, que manifestou a sua opinião em relação ao programa de perenização.

“Esse projeto é muito importante para toda a região da baixada e precisa ser bem discutido com a população para que se saiba as vantagens e desvantagens dele. Se for necessário trarei o legislativo maranhense até Cajari para discutimos o assunto através de audiência pública”, garantiu Tavares.

Durante a reunião várias lideranças se manifestaram a favor do projeto, que prevê, entre outras coisas, a construção de uma barragem no leito do rio Maracu. Contudo, outros participantes se colocaram contra, principalmente porque não conhecem o conjunto das ações que fazem parte desse projeto.

“Nossa expectativa é que através de uma audiência publica possamos entender melhor as pretensões do projeto e da construção da barragem, pois da forma como as coisas estão sendo colocadas não temos ser a favor dele, uma vez que mexe com a vida de todos os moradores de Cajari”, afirmou Abraão.

Ainda durante a sua explanação, o presidente da Assembléia Legislativa, deputado Marcelo Tavares, ressaltou a importância da população em fiscalizar os agentes públicos (prefeitos, deputados, vereadores), lembrando que as estradas de Cajari estão todas esburacadas, mesmo depois que a governadora Roseana Sarney, através de dispensa de licitação, liberou dinheiro para a construção das estradas.

“O governo do estado já demonstrou que não tem interesse pelo projeto de perinização da água doce da baixada, pois assim que assumiu o governo tratou imediatamente de confiscar os recursos desse de outros projetos para a região. Até dispensa de licitação fizeram para construir a estrada de Cajari, mas observo que a mesma ainda está completamente intrafegável”, disse.

A estrada sem licitação, nada até agora foi feito

A estrada sem licitação, nada até agora foi feito

Reunião paralela

Durante a reunião foi instituída uma comissão composta por agentes públicos e representantes da sociedade civil que ficará responsável pela organização de várias reuniões, audiências públicas e painéis aprofundar as discussões sobre o projeto de perenização.

Vários participantes protestaram contra a omissão da prefeitura de Cajari e da Câmara de Vereadores que praticamente boicotaram a reunião precursora

Do blog do Ricardo Santos



segunda-feira, 15 de março de 2010

O BRASIL EXPLICADO EM GALINHAS

O Brasil explicado em galinhas

&nbsp ; Luis Fernando Veríssimo


Pegaram o cara em flagrante roubando galinhas de um galinheiro e o levaram para a delegacia.

Delegado - Que vida mansa, heim, vagabundo? Roubando galinha para ter o que comer sem precisar trabalhar. Vai para a cadeia!

Ladrão - Não era para mim não. Era para vender.

Delegado - Pior, venda de artigo roubado. Concorrência desleal com o comércio estabelecido. Sem-vergonha!

Ladrão - Mas eu vendia mais caro.

Delegado - Mais caro?

Ladraão - Espalhei o boato que as galinhas do galinheiro estavam doentes e as minhas galinhas não. E que as do galinheiro botavam ovos brancos, enquanto as minhas botavam ovos marrons.

Delegado - Mas eram as mesmas galinhas, safado!

Ladrão - Os ovos das minhas eu pintava.

Delegado - Que grande pilantra... (mas já havia um certo respeito no tom do delegado...). Ainda bem que tu vai preso. Se o dono do galinheiro te pega...

Ladrão - Já me pegou. Fiz um acerto com ele. Me comprometi a não espalhar mais boato sobre as galinhas dele e ele se comprometeu a aumentar os preços dos produtos dele, para ficarem iguais aos meus. Convidamos outros donos de galinheiros pra entrar no nosso esquema. Formamos um oligopólio. Ou, no caso, um ovigopólio...

Delegado - E o que você faz com o lucro do seu negócio?

Ladrão - Especulo com dólar. Invisto alguma coisa no tráfico de drogas. Comprei alguns deputados. Dois ou três ministros. Consegui exclusividade no suprimento de galinhas e ovos para programas de alimentação do governo e superfaturo os preços.

O delegado mandou pedir um cafezinho para o preso e perguntou se a cadeira estava confortável, se ele não queria uma almofada. Depois perguntou:

Delegado - Doutor, não me leve a mal, mas com tudo isso, o senhor não está milionário?

Ladrão - Trilionário. Sem contar o que eu sonego de Imposto de Renda e o que tenho depositado ilegalmente no exterior.

Delegado - E, com tudo isso, o senhor continua roubando galinhas?

Ladrãqo - Às vezes. Sabe como é...

Delegado - Não sei não, excelência. Me explique.

Ladrão - É que, em todas essas minhas atividades, eu sinto falta de uma coisa. O risco, entende? Daquela sensação de perigo, de estar fazendo uma coisa proibida, da iminência do castigo. Só roubando galinhas eu me sinto realmente um ladrão e isso é excitante. Como agora fui preso, finalmente vou para a cadeia. É uma experiência nova.

Delegado - O que é isso, excelência? O senhor não vai ser preso, não!

Ladrão - Mas fui pego em flagrante pulando a cerca do galinheiro!

Delegado - Sim. Mas é primário e, com esses antecedentes...

sexta-feira, 12 de março de 2010

RICARDO E RAIMUNDO OU RICO E MUNDICO
















Raimundo e Ricardo ou Mundico e Rico

Não é dupla sertaneja, nem de atacantes e muito menos filhos gêmeos, esses dois representam o fracasso, a falta de compromisso e o desrespeito do governo Roseana Sarney com o povo.

Raimundo Cutrim secretário de segurança assumiu a secretaria e a sua primeira fala foi dizer que acabaria com os crimes que agora o cidadão maranhense poderia ficar tranqüilo e bla bla bla!! Pois o resultado após um ano e seis meses é cruelmente ao contrário, o que vemos são assassinatos, brigas de traficantes, mortes por encomendas, policiais mortos e uma serie de assaltos a bancos, os próprios índices confirmam. A desculpa é que não havia dinheiro para ações de segurança. Hora vejamos se não há dinheiro como conseguiram comprar carros importados com valores superiores a R$ 150.000,00 e outros no valor de R$ 100.000,00 totalizando mais R$ 50 milhões gastos em veículos? Além disso, o Maranhão recebe verba federal, projetos de prevenção e capacitação dos servidores, pois foi incluso no Pronasci pelo governador Jackson Lago na gestão da Dra. Eurídice Vidigal.

Já o secretário de saúde Ricardo Murad que ao assumir a secretaria prometeu que iria construir 64 hospitais em um ano e oito meses, até agora muito falou (naturalmente), mas trabalho que é bom nada, apenas vemos hospitais fechados, pessoas não sendo atendidas, escândalos e os maranhenses sofrendo pela falta de estrutura. Vale lembrar agora que Ricardo só tem nove meses para cumprir sua promessa mirabolante ou seria apenas mais uma de suas piadas se graça?

A conclusão é que se Mundico (se acha o centro das atenções) e Rico (porque será?) fossem dupla de atacantes jogariam no Íbis de Pernambuco, se fossem dupla sertaneja tocariam em um bar de uma beira de estrada em Foz do Iguaçu na divisa com o Paraguai e se fossem gêmeos... Bem isso Deus não permitiria porque mãe nenhuma merece.

Não percam as desventuras de Roprofana Sardenta e seus amiguinhos Mundico e Rico na Terra do Coroné!

quarta-feira, 10 de março de 2010

HOLANDA ANUNCIA AUDIÊNCIA PÚBLICA SOBRE A REFINARIA


O líder da oposição na Assembleia Legislativa, deputado Edivaldo Holanda (PTC), anunciou na sessão de hoje (terça-feira, 9) a realização de audiência pública no dia 7 de abril, para debater a implantação da Refinaria Premium no Maranhão. A audiência havia sido requerida por Edivaldo desde o ano passado, mas foi adiada devido a dificuldades apresentadas, na ocasião, pelo ministro Edison Lobão (Minas e Energia), que pretendia se fazer presente ao evento.

A preocupação do líder oposicionista é para que a implantação da refinaria seja exaustivamente discutida, a fim de que não seja mais um “engodo”, a exemplo do que foi o Pólo de Confecção de Rosário, no primeiro governo de Roseana Sarney (PMDB), em que dezenas de famílias se iludiram e que até hoje estão endividadas junto ao Banco do Nordeste.

Edivaldo Holanda pontuou várias questões importantes que devem ser tratadas na audiência sobre a refinaria. Uma delas diz respeito ao prazo para a execução da obra. Ele informou que visitou a área na qual o empreendimento será instalado, no município de Bacabeira, e constatou que em três meses de trabalho, foram colocados apenas 900 metros de cerca em uma área de 20 quilômetros quadrados.

Sob a responsabilidade da empresa mineira Fídens, estão trabalhando no canteiro de obras cerca de 100 operários. O deputado chama atenção para o fato do tempo que eles estão levando apenas para a colocação da cerca, haja vista que em três meses foram cercados apenas 900 metros e o prazo para a conclusão total, conforme placa indicativa, termina em maio, o que leva a crer que este prazo não será cumprido.

Outra questão importante diz respeito às famílias que moram há décadas na área do empreendimento. Segundo Holanda, 60 famílias que compõem as comunidades quilombolas Salva Terra e Salva Terra I, estão “batendo o pé e dizendo que não vão sair das terras em que vivem há cerca de dois séculos, aonde plantam e de onde tiram o próprio sustento.

Ele citou o caso do povoado Cajueiro, onde moram mais de 300 famílias e por onde deve passar a dutovia de 55km de extensão e 90 metros de largura entre a tancagem no Porto do Itaqui e a Refinaria em Bacabeira. “Para onde irão as famílias do povoado Cajueiro? É outra pedra no caminho que não pode ser chutada, tem que ser tratado com carinho”, lembrou Holanda.

Na avaliação de Holanda, a licença ambiental dada às pressas também não respeitou o direito daquelas famílias, que não foram sequer ainda indenizadas naquilo que lhe é devido.

Além destes dois problemas, o líder oposicionista disse que já manteve audiência com o prefeito Venancinho e com o presidente da Câmara de Vereadores de Bacabeira, Alan Linhares, e constatou várias outras situações incômodas para a região. A mais emergencial é a necessidade de duplicação da BR-135 e a remoção da linha da transmissão da Eletronorte. Falta, ainda, infraestrutura adequada, casas, hospitais e escolas para receber 130 mil pessoas numa cidade de 20 mil habitantes.

“Dá para inaugurar em 2013 um empreendimento do porte deste com todas estas pedras humanas e com todas essas necessidades prementes que terão que ser cuidadas com olhos de políticas públicas acertadas, legítimas, respeitosas para com os direitos daqueles cidadãos?”, questionou.

ADVERTÊNCIA

Edivaldo Holanda alertou para a possibilidade da implantação da Refinaria Premium se tornar um novo engodo na política do Maranhão, a exemplo do que foi o pólo têxtil de Rosário, no governo Roseana Sarney, o qual resultou em danos graves para a região. Segundo ele, “ainda hoje existem centenas de famílias no Serasa, proibidas de tirar qualquer recurso e sem nenhum crédito porque foram enganadas na presença de Fernando Henrique Cardoso (PSDB), então presidente da República”.

De acordo com o parlamentar oposicionista, o resultado hoje com o pólo têxtil é o massacre daquelas famílias de Rosário que se iludiram com o pólo têxtil chinês, endividaram-se com o Banco do Nordeste que lhes retirou o crédito e que lhes ameaça mensalmente com cobranças.

O objetivo da audiência do dia 7 de abril, segundo ele, é levantar toda esta discussão e não deixar que as pessoas sejam enganadas e que votem numa bandeira que com certeza querem que se realize, mas que não será agora e muito menos no ano de 2013, como está sendo anunciado. “O prazo real é de 12, de 15 ou de 20 anos, porque uma refinaria não se faz do dia para a noite. Ele alertou, também, para o perigo de mexer com a esperança do povo, pois há uma expectativa de 130 mil pessoas esperando emprego em Bacabeira.

MEIO AMBIENTE

Outro fato grave denunciado pelo parlamentar oposicionista é a licença ambiental para o empreendimento, considerada por ele um verdadeiro escândalo, haja vista que o local onde a refinaria pretende se instalar tem um igarapé, afluente do rio Itapecuru, localizado entre duas áreas desapropriadas pelo governo — Pequi e Salva Terra. Segundo consta no relatório, o riacho será entupido para dar logar á refinaria.

De acordo com Edivaldo Holanda, de todos os problemas e impactos sócios ambientais que podem ser criados com a possível chegada desta refinaria, um dos mais graves está relacionado ao rio Itapecuru. “A cidade de São Luís depende deste rio, que hoje, segundo o Conselho Nacional de Meio Ambiente, já enfrenta graves problemas com a poluição. Destruir seus afluentes é colaborar ainda mais com este desequilíbrio ambiental”, alertou.

Ele lembrou que enquanto o governo faz propaganda eleitoral com a fantasiosa refinaria, o Italuis, que deveria trazer a água do Rio Itapecuru para São Luís, está em colapso, causando problema de abastecimento. “O governo, além de não consertar o Italuis, ainda planeja ações que vão agredir ainda mais o rio Itapecuru, comprometendo a já comprometida fonte que abastece uma cidade que hoje tem cerca de um milhão de habitantes”.

Ele leu trecho de um email encaminhado por Rosemary Botentuit, que faz parte da comunidade do Salva Terra em Rosário, no qual ela relata os problemas que a refinaria está causando à comunidade, bem como o desespero da população.

Jacqueline Heluy

Agência Assembleia

BARRIGA DO FIM DO MUNDO



O Maranhão é um estado rico. Possui as melhores terras do Brasil. É farto em recursos naturais. Tem o segundo maior litoral do País; três rios nacionais e água doce em todo canto. O maranhense é uma mistura alegre e guerreira do índio, do negro, de portugueses, franceses e holandeses. Apesar das riquezas naturais, da diversidade cultural e da garra de nossa gente que trabalha de inverno a verão, o Maranhão apresenta os piores indicadores sociais do país e o nosso povo amarga a dor, o sofrimento e a humilhação da pobreza.

São muitas causas, porém a principal reside no domínio absoluto das oligarquias sobre a economia, a mídia e as instituições públicas e privadas, que sufoca a alternância de poder e a democracia.Há mais de quarenta anos o Maranhão é dominado por uma família. Se não fossem as políticas e os investimentos do Governo Federal, em especial nestes anos do governo do Presidente Lula, os maranhenses estariam nas mesmas condições do povo haitiano.

O Maranhão é o único estado do Brasil que não houve alternância de poder com a redemocratização do País. No Piauí, Ceará e Pará, as forças democráticas de oposição conquistaram prefeituras de capitais e governos estaduais porque as oligarquias foram derrotadas no inicio da década de 80.

O Maranhão não teve essa oportunidade. O Senador José Sarney, desde sua eleição para Governador em 1965, se agarra com unhas e dentes em quem senta na cadeira da Presidência da República, mantendo a partir da força que acumula em Brasília, o poder absoluto sobre a vida e a morte dos maranhenses.

Dos políticos que serviram a ditadura, o Senador José Sarney é o único que continua mandando na República. O mesmo nunca teve tanto poder quanto agora no governo popular e democrático do Presidente Lula: de Presidente da Arena e do PDS tornou-se cacique no PMDB; com quatro votos do TSE “elegeu” sua filha governadora do Maranhão; preside o Senado Federal após zombar do Presidente da República e derrotar o petista Tião Viana; manda e desmanda no setor elétrico nacional; controla cargos federais em Brasília e a quase totalidade dos cargos públicos no Maranhão e Amapá; e ainda se articula para suceder temporariamente o Presidente LULA no período eleitoral.

Mas o Senador José Sarney tem a barriga do fim do mundo. A sua pança quer sempre mais: agora ele quer a honra e a história do PT do Maranhão para reeleger a sua filha, usando meios e métodos obscuros em Brasília e no Maranhão para se apropriar do PT.

O Presidente Lula acertadamente defende no pleito de 2010 um plebiscito entre o presente exitoso do nosso governo e os oitos anos passados e desastrosos do governo tucano. No Maranhão, o Senador José Sarney quer ganhar as eleições sem concorrentes, mantendo um passado de mais de quatro décadas, pois ao se apossar do PT no Estado ele deseja desarticular a oposição e garantir a reeleição de Roseana Sarney para reinar por mais 40 anos, sepultando uma geração e perpetuando o atraso, a miséria e a corrupção.

Se o PT do Maranhão se coligar com o PMDB, o Senador Sarney que em 1965 em plena ditadura cortou a perna do líder camponês Manoel da Conceição (terceiro a assinar a lista de fundação do PT) e sufocou a luta pela terra para favorecer o latifúndio, agora em plena democracia, assassinará fundadores e as lideranças mais expressivas política e eleitoralmente, os quais desistirão de candidaturas, com reflexos nefastos sobre os movimentos sociais e segmentos mais empobrecidos.

Que fome canina é esta do Senador Sarney por tanto poder? Será que a barriga deste homem nunca enche? Que dívida eterna é esta que Sarney não pára de cobrar do nosso governo? Será que o nosso governo que pagou até a dívida com o FMI e não consegue pagar a dívida com Sarney?

Não é justo que em plena democracia e no governo do PT, em que muitos deram a vida para conquistar, fundadores e militantes do Partido tenham seus direitos eleitorais e políticoscassados para beneficiar um filho da ditadura, que concentra tanto poder e tem causado tantos males ao País.

Lutaremos pela continuidade das políticas exitosas do nosso governo, elegendo a Ministra Dilma Presidenta do Brasil. Reconhecemos que, no plano federal, para vencer as eleições e governar o Brasil torna-se necessário ampliar as alianças com partidos como o PMDB.

No entanto, em muitos estados a realidade impede a reprodução da aliança nacional, por incompatibilidade ética; pelas diferenças de compromissos históricos; e por existirem alternativas partidárias com antigos aliados como o PSB, PCdoB, PRB, PDT e PCB, também base do governo LULA, possuidores de força eleitoral e política capaz de oferecer à companheira Dilma uma palanque forte e limpo

A família Sarney tem o dever de apoiar a candidatura da Ministra Dilma por tudo o que detêm no Governo Federal. Em vários estados haverá mais de um palanque presidencial. Por que no Maranhão será proibido ter dois palanques?

Este é um apelo público à cidadania brasileira, de um fundador do PT, em nome de milhões de maranhenses para que não deixem o Maranhão e os petistas serem engolidos pela barriga do fim do mundo.

Domingos Dutra, Deputado Federal e fundador do PT.


.


terça-feira, 9 de março de 2010

ABSURDO! PRESOS FICAM MAIS DE 12H TRANCADOS EM CELAS DE VIATURAS EM BACABAL

Após ficarem 12h trancados, sem ter para a onde serem transferidos eles foram soltos

O sistema de segurança do Estado do Maranhão chegou ao ápice do absurdo, do descaso e da falta de organização que um setor do governo pode chegar, nesta sexta-feira o Jornal Nacional denunciou e mostrou as imagens de 24 presos que estavam na delegacia de Bacabal e ficaram mais de 12 horas trancafiados em celas dentro de três viaturas, como se fossem bichos a espera de uma transferência para uma penitenciária de São Luís. Como não havia vagas os policiais e os agentes penitenciários, sem saber como agir, mantiveram os detentos dentro das celas que tem menos de m2

Além da falta total de planejamento, já que se não havia vagas nas penitenciarias de São Luís porque os colocarem dentro das viaturas? O pior foi às soluções que a governadora do Estado Roseana Sarney deu para esse descaso. Segundo ela o governo irá construir uma nova delegacia no município de Bacabal, para os detentos não ficarem enjaulados o juiz Roberto de Paula determinou a soltura destes detentos conforme revelou a matéria do Jornal Nacional. Lembremos a governadora que delegacia não é cadeia, não é presídio e não é penitenciária, delegacia não é para abrigar presos, delegacia serve para atendimento ao público, base e administração de operações policiais, investigações criminais e apenas detenção temporária de suspeitos e presos em flagrante delitos. Ou seja, a governadora Roseana Sarney e o secretário Raimundo Cutrim estão atribuindo novas funções as delegacias e aos policiais civis, estas viraram cadeia e aqueles viraram agentes penitenciários. A pergunta que fica é, essas soluções são por vontade própria ou pela falta de conhecimento? E se para toda falta de vagas, a partir de agora os presos forem soltos, então o nosso Maranhão esta dando carta branca aos crimes e o nosso estado virou uma terra sem lei.

Ainda por cima, essa situação poderia ser evitada. O Governo Jackson Lago através da Secretaria de Segurança Cidadã abriu em apenas dois anos 706 vagas com a reforma, ampliação e construção de novas penitenciarias, vagas essas que não eram abertas a mais de 10 anos. Também deixou licitada e com dinheiro em caixa projeto para a construção de um Centro de Detenção para mais de 400 detentos em Pinheiro e até o final do Governo Jackson seriam abertos mais outras três unidades penitenciárias.

Projetos que foram interrompidos, esquecidos e que como conseqüência nos mostram situações como essas veiculadas em rede nacional. Claro que é dever do Estado punir os criminosos, mas também ressocializar estes detentos para estes poderem novamente voltar ao convívio natural da sociedade e não torturá-los como foi feito nessa situação e depois pior ainda solta-los.

Vale lembrar que o sistema de segurança do Maranhão virou desde abril do ano passado protagonista central do Jornal Nacional, ou melhor, antagonista, toda semana o telejornal global mostra um assalto a banco, ou um massacre, ou um crime por encomenda que ocorre aqui no Estado. Resquícios do esquecimento de um projeto de segurança cidadã que virou modelo para o próprio Ministério da Justiça segundo palavras do ex-ministro da justiça Tarso Genro.

sexta-feira, 5 de março de 2010

Manobra de Sarney para salvar candidatura de Roseana morreu no nascedouro



O cinismo do Sarney e sua turma parece mesmo não ter limites.

O velho oligarca “plantou” na chamada grande imprensa, que o presidente Lula se licenciaria do cargo para se dedicar exclusivamente a campanha da ministra Dilma Roussef, candidata à sua sucessão.

Dessa forma, Sarney, como presidente do Congresso Nacional e terceiro na linha sucessória assumiria a presidência da república, uma vez que tanto o vice-presidente José Alencar quanto o presidente da Câmara dos Deputados, primeiro e segundo respectivamente na linha sucessória, pretendem concorrer nas próximas eleições e caso assumissem interinamente o posto de Lula, se tornariam inelegiveis.

Bastou o líder do governo na Câmara Federal anunciar que essa hipótese de licença estava totalmente descartada para Sarney se apressar em dizer que nunca nem pensou nessa possibilidade.

Raposa velha em política e vendo perigar uma nova derrota de Roseana na briga pelo Palácio dos Leões, Sarney, vislumbrou essa possibilidade, por que uma vez na cadeira de presidente do Brasil, ele usaria toda a influência possível para deixar o caminho inteiramente livre em favor da filha mimada.
Mas, para o desespero de Sarney e Roseana, Lula não embarcou nessa jogada, pois sabe que diante do mar de escândalos nos quais Sarney está envolvido não seria nada salutar nem para seu governo e muito menos para a candidatura da ministra Dilma, ter o senadoer amapaense aboletado em sua cadeira.

Lula sabe muito bem que Sarney é hoje, uma espécie de “cerca velha”, que cai e acaba derrubando quem nele se encosta.

Blog do Ricardo Santos

quarta-feira, 3 de março de 2010

INSEGURANÇA PÚBLICA DA GOVERNADORA ROSEANA SARNEY, A ONDE CHEGAREMOS?


INSEGURANÇA PUBLICA DA GOVERNADORA ROSEANA SARNEY, A ONDE CHEGAREMOS?

Infelizmente essa é uma nota triste, mas que é preciso ser discutida para refletir e cobrar ações mais efetivas, haja vista o caos e a violência que toma conta do Estado. A cada final de semana São Luís e o Estado do Maranhão inteiro é marcado por crimes chocantes que fazem diversas vitimas e deixam a população em estado de alerta.

Em apenas dois dias apenas o Maranhão foi palco de diversos crimes, apenas para citar os casos mais divulgados, no domingo, uma mulher e seu namorado foram assassinados a sangue frio em sua própria residência, um crime espantoso que lembrou cidades a onde não existem leis e as pessoas vivem as escondidas com medo dos pistoleiros. No mesmo dia para completar esses finais de semanas terríveis e macabros a criminalidade voltou-se contra a própria lei, a onde um policia foi brutalmente assassinado no Centro de São Luís.

Ainda o Estado foi marcado por um assalto a banco cinematográfico no município do Alto Parnaíba na manhã de segunda-feira, como ocorriam no Velho Oeste a onde os bandidos rendiam cidades inteiras sem que ninguém fizesse nada. Segundo o próprio Sindicato dos Bancários nos últimos seis meses o Maranhão tem uma média de seis assaltos por mês, situação considerada alarmante que para o sindicato ocorre devido à total falta de segurança gerada pelo Governo.

E terça-feira outro assalto a banco no município de Santa Luzia do Parua que provocou a morte de seis bandidos e de um bancário, neste crime o estado teve a sorte de contar com o serviço da Polícia Federal que monitorou os criminosos e conseguiu evitar o assalto, porém não evitou a morte de um civil.

Crimes que chocam e levaram o deputado estadual Edivaldo Holanda a cobrar a governadora e o secretário de segurança, através de discurso na Assembléia Legislativa. Diante desta situação nos perguntamos o que mais falta ocorrer para que o Governo tome uma atitude?


Confira algumas matérias da violência que assombra o Maranhão

JORNAL PEQUENO

Edivaldo Holanda diz na Assembléia que São Luís está 'banhada de sangue'

Em pronunciamento na sessão de ontem da Assembléia Legislativa, o líder da oposição, deputado Edivaldo Holanda (PTC), criticou o sistema Segurança Pública do governo Roseana Sarney (PMDB) e cobrou empenho do secretário Raimundo Cutrim no combate à violência na chamada grande São Luís.

Citando como exemplo de insegurança a morte do policial civil Cícero Costa Terceiro, assassinado com um tiro na madrugada do último domingo, no Centro de São Luís, Edivaldo Holanda teceu duras críticas ao secretário Raimundo Cutrim, afirmando que o mesmo, ao invés de trabalhar para conter a onda de violência que tomou conta da grande São Luís, está apenas preocupado em tratar de assuntos relacionados ao seu retorno a esta Assembléia.

“Enquanto o secretário Cutrim cuida exclusivamente da sua reeleição, a violência ceifa vidas inocentes nas ruas de nossa capital. O clima de insegurança prevalece, infelizmente, a cada dia nos lares da grande São Luís. O secretário Cutrim sequer prestou solidariedade à família deste policial civil, que foi brutalmente assassinado e figura como mais um caso da “onda” de violência que impera na capital, vejam por exemplo o caso do bairro da Liberdade, um dos mais importantes do centro de São Luís está ocupado pela polícia, mas não consegue diminuir a violência no bairro, conforme atesta reportagem do jornal ‘Aqui-MA’” , afirmou Holanda.

O parlamentar também direcionou críticas à governadora Roseana Sarney, que, segundo ele, faltou com a verdade para o povo ao garantir, tão logo assumiu a administração estadual, que acabaria com a violência no Maranhão. “A governadora disse que, muito em breve, as famílias poderiam sentar nas portas das suas casas tranquilas. Ela faltou com a verdade, pois o que estamos vendo todos os dias são dezenas de casos de homicídios, assaltos a agências bancárias, entre outros tipos de crimes”, finalizou o deputado.

O IMPARCIAL

Quadrilha assalta agência do Banco da Amazônia

Quadrilha audaciosa assalta agência do Banco da Amazônia na manhã de hoje, no município de Alto Parnaíba,a 1.100 quilômetros da capital.

Da Redação

Tiros, reféns, perseguição policial, destruição e veículos em chamas. As cenas são dignas de um filme, mas aconteceram na manhã de hoje, no município de Alto Parnaíba, a 1.100 quilômetros da capital. Uma quadrilha assaltou a agência do Banco da Amazônia S/A (BASA), na região. Segundo a Superintendência de Polícia do Interior, seriam dez homens envolvidos no assalto, cujo valor roubado não foi informado. Os integrantes da quadrilha ainda estão foragidos.

A polícia montou cerco nas áreas próximas ao assalto para evitar a fuga da quadrilha. Equipes de Alto Parnaíba trabalham em parceria com as polícias de Tasso Fragoso, Balsas, o Grupo Tático Aéreo e reforço policial da capital.

Audaciosos, os suspeitos quebraram toda a agência e atearam fogo em um dos dois veículos usados para a fuga. Os reféns foram todos liberados durante a fuga. Munidos de armamentos pesados, entre estas, metralhadores e fuzis Ar- 15, a quadrilha adentrou a agência atirando e anunciando o assalto. O momento era de muita movimentação no local. Assustados, os clientes tentaram fugir, mas foram impedidos.

As marcas da violência ficaram nas vidraças, portas e interior da agência. Os vários tiros deixaram o estabelecimento completamente destruído. A quadrilha fugiu e uma caminhonete e um Astra. Os dois veículos foram abandonados na fuga, sendo que o último ficou destruído após os bandidos incendiá-lo.

Entre os reféns dos assaltantes estavam clientes e funcionários. Na fuga, os suspeitos teriam seguido em direção ao município de Balsas. A Superintendência de Polícia do Interior, por meio da assessoria, informou acreditar que os suspeitos ainda estejam no município. Segundo a assessoria, o cerco foi montado poucas horas após a fuga.

Registros

Seis assaltos a bancos por mês no Maranhão. Essa é a média de registros desta modalidade, segundo o Sindicato dos Bancários, me relatório do primeiro semestre do ano passado. A categoria considera o número alarmante e afirma que as ocorrências vêm crescendo. O sindicato atribuiu os índices à falta de segurança.

O IMPARCIAL

Mais um!

Quadrilha assalta banco no Maranhão e tenta fugir para o Piauí

Quadrilha formada por dez homens assaltou a agência do Banco da Amazônia e fugiu em direção a Santa Filomena, no Piauí.

Cícero Portela

Portal O Dia

Após assaltar uma agência do Banco da Amazônia na cidade de Alto Parnaíba (MA), uma quadrilha formada por cerca de dez homens fugiu da cidade levando consigo oito reféns, em direção ao município de Santa Filomena, no Piauí, que faz divisa com a cidade onde os criminosos agiram.

Momentos depois, todos os reféns foram libertados e os bandidos trocaram de veículo, ateando fogo no carro em que estavam inicialmente.

No momento do assalto, houve troca de tiros entre os assaltantes e a Polícia. As informações iniciais, não confirmadas, são de que houve feridos e até uma vítima fatal.

Policias de Santa Filomena e de Corrente dão apoio à Polícia do Maranhão para capturar os assaltantes. A suspeita é que a quadrilha tenha desviado a rota original, rumo ao Piauí, e agora esteja seguindo para a cidade de Balsas, ao Sul do Estado vizinho.

Os policiais militares do Piauí estão na divisa entre os dois Estados, entre Santa Filomena e Alto Parnaíba.

O IMPARCIAL

Disputa por bens motivaram crime

Um crime de encomenda motivado por briga na Justiça pela partilha de bens seria o motivo do assassinato da empresária Sandra Maria e do namorado Joel Bastiens.

Sandra Viana

sandraviana@ma.dabr.com.br

Um crime de encomenda motivado por briga na Justiça pela partilha de bens é a causa mais provável do assassinato da empresária Sandra Maria Dourado de Sousa e do namorado, o holandês Joel Bastiens, segundo o delegado Carlos Alberto Damasceno, que investiga o caso. O crime aconteceu na manhã de domingo. Sandra foi surpreendida quando negociava um imóvel no local. A polícia diz ter pistas do suspeito, mas sustenta que detalhes das investigações são sigilosos.

Sandra era sócia em uma imobiliária e trabalhava com a construção e venda de terrenos. Ela travava uma briga com o ex-marido, de quem está há três anos separada, pelos bens conjuntos.

A família de Sandra prestou depoimento ontem e teria acusado o ex-marido. A polícia investiga se ele teria contratado alguém para matar a ex-mulher. Ao delegado, a família de Sandra afirmou o envolvimento do ex-marido. No entanto, não relataram se ela vinha sendo ameaçada por ele, ou se mantinham algum tipo de contato regular. “Temos a suposição da família, mas vamos investigar outras hipóteses”, relatou o delegado Carlos Alberto Damasceno.

Preliminares da investigação apontavam para crime por dívida, hipótese descartada pelo delegado. Mas, há suspeitas de envolvimento de funcionários da empresária. O delegado explica se tratar de crime de duplo homicídio com características de encomenda, sem chance de defesa e acrescido de mandante, o que pode estender a pena.

Depoimentos

Além da família de Sandra, ainda ontem também foram ouvidos vizinhos, mas apenas informalmente. Já estão marcados os depoimentos do ex-marido e sócios da vítima, todos para esta semana. O ex-marido já teria recebido a intimação para depoimento. Ele estava em sua residência e segundo o delegado, não teria feito objeção a depor.

A família do namorado de Sandra está em viagem para o Maranhão. Eles contataram a Embaixada do Brasil na Holanda para auxílio no translado. A família do holandês deve requisitar apoio do governo brasileiro para investigar o caso. O delegado afirmou que estará à disposição das autoridades e da família do estrangeiro, no que refere à prestação de informações sobre o caso. Segundo o delegado, com as pistas que possui, os culpados serão presos em curto prazo.

O crime

O crime foi premeditado. Sandra teria recebido uma ligação de um suposto interessado no imóvel, segundo as investigações da polícia. Ao chegar ao local, ela e o namorado foram surpreendidos com a emboscada. Eles estavam no interior da casa. A campainha tocou e Joel Bastiens foi atender. Ele foi recebido com dois tiros de pistola na cabeça. Em seguida, o suspeito se dirigiu à Sandra e atirou três vezes, também na cabeça. Encurralados dentro da casa os dois não tinham como fugir.

O crime aconteceu na casa 13, quadra 5, Rua 20, loteamento Alto do Jaguarema, no bairro Araçagi. O local, segundo a polícia, também foi escolhido estrategicamente, e por alguém que conhecia os negócios de Sandra. O imóvel, onde foi morta, é localizado em área de pouco movimento, quase isolada, facilitando assim o crime e a rápida fuga. Ainda assim, testemunhas conseguiram descrever o suspeito que seria de cor branca, alto, possui cavanhaque e trajava jaqueta e calça pretas

sexta-feira, 19 de fevereiro de 2010

EDIVALDO HOLANDA DENUNCIA FARRA MILIONÁRIA DE R$ 47 MILHÕES DO GOVERNO ESTADO COM O CARNAVAL







|
O Governo do Estado do Maranhão gastou, em apenas três dias de Carnaval, R$ 47 milhões sem que ninguém saiba, ao certo, como foram distribuídos esses recursos. A denúncia foi feita na sessão de hoje (quinta-feira,18), pelo líder da oposição na Assembleia Legislativa, deputado Edivaldo Holanda (PTC).

Os secretários de Estado candidatos nas próximas eleições, segundo Holanda, foram os mais prestigiados pela “milionária gastança da Folia de Momo no Maranhão”.
O líder oposicionista também reiterou denúncias publicadas na imprensa, na semana passada, de que lideranças comunitárias que deveriam ter recebido recursos para melhorar o carnaval de seus bairros teriam sido humilhadas na Secretaria de Cultura do Estado.

Em seu discurso, Edivaldo Holanda comparou valores gastos pelo Governo do Estado no Carnaval de 2009 e o montante destinado à folia este ano, cujo percentual atinge o patamar exorbitante de 300% de diferença. “Houve uma verdadeira farra carnavalesca em 2010”, disse.

Em 2009 foram investidos pouco mais de 12 milhões no Carnaval do Estado, conforme dados expostos por Holanda, um valor quatro vezes menor do que o liberado este ano, que foi de R$ 47 milhões.

Ele acrescentou que além de ter sobrado muito dinheiro para custear a folia da “corte roseanista”, faltou entendimento entre os segmentos envolvidos com esta “festa de samba totalmente desafinado”.Holanda citou como exemplo do descompasso neste carnaval o desabafo do presidente da Associação Maranhense de Blocos Carnavalescos, Ivaldo Sousa Santana da Silva, conhecido como “O Brasa Santana”, em entrevista a O Imparcial.

Em tom de revolta, o carnavalesco disparou as baterias para cima da Secretaria Estadual de Cultura, alegando que os recursos destinados ao pagamento dos blocos não foram repassados à entidade, e sim a outra instituição, denominada SECMA (Sociedade Artística e Cultural do Maranhão).

Edivaldo Holanda denunciou que a farra carnavalesca com os recursos públicos foi tão acintosa no Maranhão que não houve uma explicação clara nem por parte do secretário de Cultura, Luís Bulcão, e muito menos pelo secretário do Planejamento, Gastão Vieira. “Eles precisam dizer qual foi o método, quais foram as formas e como esses recursos chegaram aos municípios”.

O líder oposicionista ressaltou o pronunciamento do presidente da Assembléia, deputado Marcelo Tavares (PSB), na quarta-feira anterior ao carnaval, ocasião que contestou a forma como o Governo do Estado estaria fazendo os repasses para a organização da festa de Momo. Segundo Marcelo, os critérios que estavam sendo utilizados não eram técnicos e visavam beneficiar principalmente os secretários de Estado que são pré-candidatos às eleições deste ano.

Na ocasião, Marcelo Tavares citou o exemplo de uma emenda sua no valor de R$ 60 mil, que seria destinada à organização do carnaval em municípios do interior do Estado, acabou não sendo aprovada. “Critério técnico ou critério político?”, questionou o presidente da Assembléia.Edivaldo Holanda condenou a forma como o atual governo, que ele chama de “governo empossado”, está enganando o povo maranhense. “Este povo sofrido, que teve seu título eleitoral rasgado, sendo agora obrigado a receber dramatizações como essa ou aceitar mistério como esse de ver milhões gastos, rasgados ou torrados em uma festa política e eleitoreira, sem retorno prático para a comunidade”.

Fazendo um contraponto com a necessidade de investimentos em setores básicos da população carente e o Carnaval de 2010, Holanda mostrou dados do próprio Portal da Transparência do governo, o qual indica que no mês de dezembro de 2009 foram destinados apenas R$ 222 mil para os setores importantes da comunidade, enquanto que no Carnaval foram “torrados” R$ 47 milhões.“Para onde foram estes recursos? Cadê as famílias que estão morrendo de fome? Tempos como este em que crianças ou mães de família não têm dez centavos no seu bolso para comprar um pão, o governo torra R$ 47 milhões em quatro dias de folia”, questionou Holanda.Segundo ele, a sociedade e a Assembléia Legislativa precisam saber como estes R$ 47 milhões foram gastos.

Edivaldo disse ter plena certeza de que o caixa de alguns candidatos, secretários deste governo, melhoraram com a festa momesca. “Com certeza melhorou o caixa do homem que manda na cultura, o deputado Ricardo Murad, que deve estar preparado para uma campanha, promovendo uma guerra autofágica dentro do próprio governo porque dinheiro é rasgado para todo lado”.

O líder oposicionista anunciou, na quinta-feira (18), que irá protocolar, na próxima segunda feira(22), um pedido de convocação do secretário Luiz Bulcao (Cultura) para que explique aos deputados qual foi o verdadeiro critério na distribuição das verbas deste Carnaval.

Ele acrescentou que somente na realização das prévias carnavalescas, segundo consta Diário Oficial, foram gastos quase três milhões de reais. O valor está especificado no convênio de nº 64/2010, mostrado por Edivaldo Holanda, entre a Secretaria de Cultura e a Fundação São Luís Convenções e Eventos,Edivaldo Holanda também mostrou outro convênio, o de nº 01/2010, de quase sete milhões de reais, entre da Secretaria de Cultura do Estado e uma entidade denominada SECMA.

O líder da oposição conclamou os demais parlamentares a se posicionarem contra o gasto exacerbado do governo neste carnaval.“Nós não podemos deixar que o dinheiro público seja rasgado desta forma quando a nossa cidade não tem sequer saneamento básico.

Nosso orçamento foi todo trucidado por este governo e nós não podemos aceitar a rasgação de quase cinquenta milhões de reais que saíram pelos esgotos da Cidade de São Luís”, disparou.

(Da Agência Assembleia)

sexta-feira, 5 de fevereiro de 2010

SEGURANÇA DO GOVERNO ROSEANA SARNEY NÃO POSSUI SITE: ENTRAVE PARA A POPULAÇÃO E PARA OS POLICIAIS

Segurança do Governo Roseana Sarney não possui site: Entrave para a população e para os policiais.

Na época da tecnologia, da integração de informações, na velocidade assustadora que as notícias correm devido à ferramenta internet, o Governo do Maranhão da senhora Roseana Sarney da mais uma demonstração do atraso, da falta de planejamento e do seu total descaso com a população. Após 10 meses, a Secretaria de Segurança Pública ainda não possui um site ou pagina virtual, o que poderia ser considerado apenas um descuido, mas se colocar em prática todos os benefícios e necessidades que a população e a própria Polícia têm com o espaço virtual, nota-se um total descaso pelo cidadão e um entrave no serviço dos policiais.

O ex-governador Jackson Lago ao assumir o seu mandato encontrou o sistema de segurança atrasado em termos de tecnologia e sistema de informação, em relação aos demais Estados do país, nossos dados não eram integrados, ou seja, a Secretaria Nacional de Segurança Publica (Senasp) não sabia, por exemplo, quem eram os criminosos do Maranhão a quantidade de detentos, a ficha criminal dos bandidos e seus processos e outros dados específicos, conforme relatou na época a ex-secretária Eurídice Vidigal. Devido a isso uma das ações do Governo Jackson, principalmente, foi integrar e atualizar as informações com a Senasp, além de obter softwear que dessem subsídios para os policiais trabalhem de forma mais eficácia e rápida no campo das investigações de crimes, que geraram resultados satisfatórios como a diminuição considerável de assaltos a bancos, conforme levantamento dos Sindicatos do Bancários. Dentre eles o sistema “Infopen”, ferramenta de cadastro e controle de todo o sistema penitenciário nacional do Depen (Departamento Penitenciário Nacional) do Ministério da Justiça, o “Guardião”, um softwear de grampos telefônicos, o “Sistema Integrado de Gestão Operacional (SIGO)”, que liga os diversos bancos de dados e informações criminais do estado. Este último citado tem também como função, disponibilizar a população uma delegacia virtual que permite que a sociedade faça boletins de ocorrências de crimes de pequena monta via internet, serviço que já era para estar em funcionamento há pelo menos seis meses.

Além disso, a falta de um site do sistema de segurança, não permite que o cidadão obtenha os telefones e endereços das delegacias, dos batalhões, da Ronda da Comunidade (Patrulha do Bairro), do Corpo de Bombeiros. Não permite que o cidadão se manifeste através de uma ouvidoria, não obtenha notícias e tenha esclarecimentos. Isto seria um problema pequeno perto das obrigações de uma Secretaria de Segurança, mas na verdade o descuido na comunicação com a população e na agilidade investigativa do serviço policial mostra que a frase “governar é cuidar das pessoas” é apenas um slogan do Governo de Roseana Sarney.

sexta-feira, 29 de janeiro de 2010

ENQUANTO O MARANHENSE TEM QUE IR PRO SOCORRÃO, ROSEANA VAI É A MIAMI BEACH FAZER EXAMES



Diferente do Presidente da Republica, ao contrário do vice e da maioria das celebridades do país , a governadora Roseana Sarney para fazer um simples Check-Up neurológico vai aos Estados Unidos, ao invés de realizar os exames no Brasil. Mais precisamente em Miami ,no Estado da Florida, que tem por características apresentar belas paisagens e praias sendo um dos locais que recebe o maior número de turistas nos EUA. Ignorando por completo nossa estrutura médica, que por sinal é avançada e possui muitos profissionais qualificados em São Paulo. A governadora viajou nesta sexta-feira (29-01) e só volta no dia 6 de fevereiro.

Na verdade o objetivo da governadora é unir o útil ao agradável, como diz o jargão popular, Roseana Sarney indo fazer exames sobre o suposto aneurisma que teve (suposto porque Roseana é a primeira pessoa da historia a realizar uma cirurgia para retirada de um aneurisma sem ficar com nenhuma cicatriz) ela poderá se distanciar alguns dias do governo, já que anda desgastada pelas inúmeras discussões e traições na disputa de quem manda mais em seu mandato. Além do mais é conhecido o vicio que a governadora tem pelo jogo, que a levou a bancar diversas passagens, via Senado, para seus amigos de jogatina irem a Brasília dividirem uma mesa de carteado. Miami fica às 4h de vôo para Las Vegas a capital mundial dos cassinos, dos jogos de azar e do poker uma cidade regrada a muitos shows, espetáculos e glamour como a governadora Roseana Sarney adora.

O Maranhão hoje infelizmente sofre e muito em atendimento médico e hospitalar pelo descaso de José Sarney e Roseana, que ficaram por 40 anos no poder e não fizeram nada pela saúde publica. O Atual secretário de saúde, Ricardo Murad, prometeu 64 hospitais modernos em 20 meses e até agora não construiu nenhum, ou seja, para cumprir a meta teriam que ser construídos seis hospitais por mês.

Hoje em dia, todo maranhense que sofre um caso mais grave de alguma patologia, tem que sair às pressas para outros Estados brasileiros para se tratar, pois não oferecemos nenhuma garantia clínica qualificada. Essa situação é o reflexo do descaso da governadora Roseana Sarney, que ao contrário da maioria dos maranhenses e do próprio presidente Lula , quando precisa apenas realizar exames, veja bem é apenas exames, vai para Miami que possui belas praias, restaurantes chiques, muitos famosos, fica perto de Las Vegas...

quarta-feira, 27 de janeiro de 2010

POLICIA DE ROSEANA, CUMPRE DESPEJO VIOLENTO DE FAMÍLIAS POSSEIRAS EM BURITI CORRENTE –MA



CONFLITO AGRÁRIO EM BURITI CORRENTE

A situação das 42 famílias de posseiros de Buriti Corrente situado na BR-316 cerca de 320 Km de São Luis, atingidas por um mandado de reintegração de posse no dia 26 de novembro de 2009, continua indefinida. A ação violenta e inconseqüente foi proferida pelo juiz da 2ª Vara da Comarca de Caxias, Clésio Coelho Cunha a favor do grupo Costa Pinto Empreendimentos Turísticos LTDA.

Por volta das 06 horas, os moradores foram surpreendidos por um batalhão de policiais composto por mais de 100 homens devidamente equipados para uma batalha, incluindo grupos de operações especiais militares e federais fortemente armados. Segundo os trabalhadores, não houve qualquer possibilidade de diálogo e todos teriam que retirar seus pertences imediatamente de suas residências, em seguida uma máquina carregadeira iniciou a destruição de 28 casas.

O clima foi tenso e de terror. Algumas pessoas passaram mal, inclusive crianças. A ordem do juiz e da empresa representou uma grande ameaça à vida de centenas de pessoas e uma agressão moral e psicológica, além de danos materiais (no caso os plantios e as casas, que segundo a Constituição Federal é um patrimônio inalienável). O terror e as ameaças aos lavradores continuaram por mais de um mês, pois a presença de jagunços armados na área a serviço da empresa é constante. As famílias continuam acampadas às margens da BR e outras 100 estão ameaçadas. Segundo as famílias acampadas às margens da BR – 316, os jagunços a serviço da Costa Pinto, estão sempre armados intimidando os trabalhadores e ameaçando queimar os barracos que foram construídos após o despejo. O clima é de muita tensão e preocupação.

Nos últimos dias os jagunços proibiram extração do piqui e do bacuri nativos da região e que nesta época se torna a principal fonte de renda para as famílias, embora os mesmos (jagunços) por outro lado a serviço empresa desmatam e queimam a vegetação nativa.

Histórico

A Costa Pinto se instalou na região de Aldeias Altas em 1977 no intuito de produzir álcool em larga escala com incentivos fiscais do Governo Federal através do Proálcool. No ano seguinte foi colhida a primeira safra de cana-de-açúcar. A Costa Pinto manteve sua produção até 1992, a crise financeira e uma série de problemas administrativos e trabalhistas a levou a falência no ano seguinte. Em quase duas décadas a empresa se apropriou de mais de 72 mil hectares de terras atingindo os municípios de Aldeias Altas, Caxias e Codó, muitos camponeses foram expulsos de suas terras pelo projeto ambicioso da Costa Pinto. Em 2005, a Costa Pinto reapareceu depois de mais de 10 anos ausente, arrendando as terras à multinacional TG Agroindustrial garantindo produzir 2 milhões de toneladas de açúcar nos primeiros 10 anos, com a onda do etanol (álcool para automóveis), os meios para tal produção estão deixando consequencias sem precedentes tanto ambiental quanto para os trabalhadores posseiros. A liminar de despejo proferida pelo juiz da 2ª Vara da Comarca de Caxias, CLÉSIO COELHO CUNHA a favor do grupo Costa Pinto Empreendimentos Turísticos LTDA, veio legitimar as intenções da Costa Pinto e da TG Agroindustrial em relação ao modelo de produção predatório e capitalista.

No último dia 13 de janeiro, representantes do INCRA estiveram na área com o advogado da Costa Pinto para discutir a situação e o remanejamento das famílias de uma área de 42 hectares nas intermediações das antigas instalações da empresa às margens da BR. Por decisão dos posseiros a permanência no local se dará até que o INCRA resolva definitivamente a situação da terra. Na ocasião estiveram presentes várias lideranças sindicais e da CPT dos municípios de Codó e Caxias.

PREFEITURA DE CODÓ SE OMITE AO CASO DE BURITI CORRENTE

Outra situação grave em relação aos acampados, é que desde que foram despejados a Secretaria de Educação se recusou a dá continuidade às atividades letivas, deixando 111 alunos sem concluir o ano letivo. A comunidade indicou possibilidades de continuar as aulas nas instalações construídas no acampamento, pois assim estariam garantindo a resistência e a permanência na área, porém a Secretaria de Educação de Codó desautorizou a continuidade das aulas, contrariando a decisão da comunidade, indicando uma possibilidade inviável para a mesma (em 02.12.2009, foi encaminhado Oficio ao Ministério Público e em 03.12.2009 ao Conselho Tutelar, colocando a situação e solicitando providencias e até agora os mesmos não se manifestaram sobre o assunto, permitindo assim, os alunos serem prejudicados). Segundo os trabalhadores a Secretaria manifestou preocupação quanto à imagem da administração municipal caso os alunos continuasse as aulas em barracos construídos pela própria comunidade. Em outra ocasião, o secretário de educação Jacinto Júnior falou para as mães dos alunos que foram até a secretaria para discutir como ficaria a situação “...porque vocês querem aulas se vocês nem terra tem...”

Fonte - Ronilson Costa - Agente da CPT / Diocese de Coroatá

terça-feira, 26 de janeiro de 2010

CAVALO SELADO DO PT MARANHENSE: QUEM É O BURRO QUE SE HABILITA A MONTAR?

CAVALO SELADO DO PT MARANHENSE: QUEM É O BURRO QUE SE HABILITA A MONTAR?


Do blog de Robert Lobato

E a cenoura está posta na frente do “cavalo selado”. É uma ótima expectativa, mas inalcançável, apenas mantém o cavalo correndo, que é o que interessa.As ofertam se multiplicam: vice-governador, uma das vagas ao Senado, cargos na estrutura do governo Roseana e por aí vai. Vale tudo, como já afirmei neste blog, para sequestrar o PT maranhense e colocá-lo em cativeiro no palanque do PMDB roseanista.Ocorre que, ao contrário do que supõem alguns no grupo Sarney, há vários empecilhos para a concretização de tornar o PT maranhense em cúmplice da política da oligarquia, responsável pelos índices socioeconômicos sofríveis que fazem do Maranhão o estado mais pobre do Brasil.Puro cinismo. Falam que uma aliança entre o PT e o PMDB reforça o projeto nacional do governo Lula, como se uma aliança regional dessa fizesse alguma diferença qualitativa, seja do ponto de vista político, eleitoral ou programático para a vitória da candidatura da ministra Dilma Rousseff à presidência da República.É que o apetite do senador José Sarney pelo poder é insaciável e não se contenta apenas com os ministérios, cargos federais e vaga de vice-presidente ao PMDB. Ele precisa também que o governo do Maranhão fique sob a “proteção” da filha, e como a filha goza de índices altíssimos de rejeição, precisa desesperadamente se pendurar nas barbas do presidente Lula. Só assim poderá ganhar as eleições, imagina a “Branca”.Aí surge a piada de oferecer uma das vagas de senador ao PT, e se não bastasse essa ousadia, ainda querem indicar o nome, no caso o do deputado Washington Oliveira, que nunca conseguiu sequer eleger-se a deputado federal. Mas as mãos poderosas e ricas do Palácio dos Leões prometem elegê-lo Senador da República. É mole?Só burro mesmo para acreditar numa aberração política dessas. Custo acreditar que exista algum burro no PT que se habilite à montar nesse “cavalo selado” oferecido pelo grupo Sarney ao PT maranhense. E pode até ser que alguém monte, mas a queda será feia, podendo levar o aventureiro ao óbito político para sempre

segunda-feira, 25 de janeiro de 2010

JÔ E CARLOS VEREZA CRITICAM LULA, ENTREVISTA FOI CENSURADA

video

Como na ditadura o presidente Lula mostra a sua verdadeira face ao censurar a entrevista realizada pelo apresentador Jô Soares com o ator e diretor Carlos Vereza. Na entrevista Vereza faz sérias criticas ao atual presidente ao dizer que com Lula o país criou uma “glamorização da ignorância”, além de afirmar que como cidadão brasileiro a maior vergonha que viu no país foram os casos do “mensalão” do “dinheiro na cueca” e o projeto de poder e autoritarismo do presidente Lula. A censura ao programa é o aprendizado que Lula esta tendo com Sarney e seu grande objetivo é montar uma oligarquia como a criada no Maranhão, só que agora a nível nacional sendo a Dilma comandante pelos próximos 4 anos e depois voltando Lula a presidência. Vale lembrar também do filme lançando a pouco “Lula o filho do Brasil”, que coincidentemente foi bem perto das eleições, o vício a própria imagem é bem típico de comandantes como Getulio Vargas, Hitler e Mussolini.

quinta-feira, 21 de janeiro de 2010

NEIVA MOREIRA POR BEATRIZ BISSIO


Neiva Moreira
Por Beatriz Bissio

Acabo de saber por minha filha Micaela que o Neiva Moreira - seu pai, meu companheiro de caminhada por quase três décadas - está internado no Hospital São Domingos, em São Luis, e que o seu estado inspira muitos cuidados.

Escrevo para aliviar o meu sentimento de dor diante do quadro, diante de um desenlace que sabemos que um dia chegará, mas diante do qual todos sentimos a mesma impotência e perplexidade.

Um deselace que nos abre tantos interrogantes sobre o sentido da vida e da morte, e nos coloca a necessidade de fazer balanços e retrospectivas...

Nestos momentos a pergunta que mais martela na miha cabeça é: qual deveria ser a punição por matar um sonho? Que pena merece quem nos tira o sonho que nos alimenta a vida?

Pode parecer a primeira vista uma pergunta pouco pertinente, mas não é. Quem conhece o Neiva sabe de seu amor ao Maranhão; sabe que o Maranhão foi o eixo em torno do qual ele teceu a sua vida pública e sua militância política.

Quando eu o conheci, no exilio do Uruguai, entre as primeiras coisas que fez questão de me apresentar do Brasil estavam o doce de buriti e o guaraná Jesus - que ele recebia através das visitas anuais de sua irmã Gel, do filho Antonio Luis e da sobrinha Memélia - e a "Canção do Exílio", do poeta maranhense Gonçalves Dias, que ele recitava como se fosse de sua autoria, tal a identificação que sentia com aqueles versos, principalmennte com os que enfatizava sempre:

“Não permita
Deus que eu morra, sem que eu volte para lá”...
Minha terra tem palmeiras,
Onde canta o Sabiá;
As aves, que aqui gorjeiam,
Não gorjeiam como lá.
(…)
Não permita Deus que eu morra,
Sem que eu volte para lá;
Sem que desfrute os primores
Que não encontro por cá;
Sem qu'inda aviste as palmeiras,
Onde canta o Sabiá.

Quando finalmente o Neiva voltou do exílio, após a anistia, fez questão de optar por uma conexão aérea no mínimo exótica, com uma escala no Amazonas, para viajar diretamente do México ao Maranhão, sem passar primeiro pelo Rio nem por São Paulo...

Essa devoção ao Maranhão, que sonhava democrático e livre!, livre da pesada carga que lhe tinham imposto gerações de políticos elitistas e corruptos, contra os quais ele sempre se insurgira, primeiro como jornalista e, depois, como político que representava uma renovação na atrasada geografia política local, teve um desfecho feliz quando Neiva Moreira entrou ao Palácio dos Leões, em janeiro de 2007. Pelo braço do amigo, irmão, companheiro de lutas, Jackson Lago e das forças políticas que o tinham conduzido à vitória, Neiva Moreira recebia a mais clara demonstração de que a sua vida de luta - a prisão, o exílio - tinham valido a pena. As sementes de rebeldia que ele tinha ajudado a plantar estavam dado frutos...

Jackson Lago nomeou Neiva Moreira o seu assessor especial e o colocou perto dele, no Palácio dos Leões, numa sala por onde passavam prefeitos, deputados, amigos, correligionários, e até adversários políticos, que ele sempre atendia prontamente e ouvia com extrema paciência, buscando encaminhar da melhor forma possível as suas reivindicações, sugestões ou mesmo críticas.

Vieram depois dias tenebrosos e inesquecíveis: a canalhice e a mesquinharia, a corrupção e a mentira tomaram conta dos destinos do Maranhão. Mais uma vez, o Neiva acompahou a resistênci. Mesmo com a saúde já debilitada, esteve no Palácio dos Leões, resistindo junto ao amigo e irmão Jackson Lago, até o desfecho.

Quando saímos do Palácio dos Leões, acompanhando Jackson Lago, naquele dia que ficará para sempre gravado na nossa memória e que s historiadores do futuro chamarão DIA DA VERGONHA - porque um governador dignamente eleito foi tirado do cargo em nome da lisura eleitoral pelo grupo político que mais pisoteou na história deste país todo o que pode ser lisura!!!! - eu tive a nítida sensação de que aquilo que para qualquer um de nós era um dia profundamente doloroso, para o Neiva era como uma sentença de morte! Senti que muitos de nós talvez teriamos tempo, ainda, de ver germiar as sementes da rebeldia e de ver o povo do Maranhão dando a sua resposta a esse ato covarde que teve a chancela da Justiça.

Mas, senti que para o Neiva o tempo não era o mesmo e que ele percebia isso nitidamete. Do alto de seus mais de 90 anos, ele sabia que dificilmente chegaria a ver o dia em que novamente o povo do Maranhão tomaria o destino nas suas mãos.

De lá para cá, o Neiva mergulhou nas lembranças do passado, buscando nelas o alivio para o peso do presente. Voltou a viver com intensidade os anos de juventude, as lutas que ele protagonizou junto a homens e mulheres que tanta falta nos fazem hoje – Brizola, Dona Neuza, Darcy Ribeiro, João Goulart, Edmundo Moniz, Luiz Carlos Prestes, Maria Aragão, Brandão Monteiro, Doutel de Andrade, Lysaneas Maciel, e tantos outros que já não estão mais entre nós e que semearam este pais de sonhos de futuro.

Ao tirar o mandato do Jackson Lago, o grupo de forças políticas do Maranhão que representa o atraso estava tirando do Neiva o sentido de sua vida! Tinham apunhalado o seu maior sonho: o de viver para ver o novo Maranhão germinar!! E, sem alimento para a sua alma inquieta, ele começou a definhar...

Diante da notícia de seu estado de saúde, esta foi a forma que encontrei de prestar-lhe homenagem!

Querido Neiva: seu sonho não morrerá!
Nós não vamos esquecer as suas lições de vida e continuaremos a lutar por seus ideais.

quarta-feira, 20 de janeiro de 2010

NÚMEROS DA VIOLÊNCIA ACABAM COM JUSTIFICATIVAS DE RAIMUNDO CUTRIM


Secretário de Roseana Sarney tenta justificar erros na segurança, mas é desmentido com o aumento crescente nos homicídios em São Luís

Na última segunda-feira o atual secretário de Segurança Pública do Maranhão Raimundo Cutrim em entrevista ao jornalista Silvan Alves (Bandeira 2, TV Difusora) , admitiu que os números da violência, mais precisamente os dados de homicídios de São Luís estão altíssimos e que precisam ser solucionados. Porém para justificar seus próprios erros na administração da pasta da segurança no governo de Roseana Sarney, o secretário afirmou que na gestão passada, no caso cita-se o governo Jackson Lago, a situação era muito pior.

Mas felizmente contra fatos não existem argumentos, matéria veiculada no Jornal Pequeno mostrou o equivoco de Raimundo Cutrim. Segundo o diário a violência e os homicídios no governo de Roseana Sarney aumentaram drasticamente, principalmente após a atual administração acabar com os programas de prevenção do Programa Nacional de Segurança com Cidadania(PRONASCI) aliados aos Conselhos de Segurança Cidadã e com o serviço de patrulhamento ostensivo como era o Patrulha do Bairro. Mas com o crescente aumento assustador dos crimes a governadora Roseana Sarney resolveu voltar com os projetos da administração de Jackson Lago, porém com uma filosofia errônea e sem o embasamento necessário a continuidade dos projetos não surtiu efeito e o resultado é visto e sentido diariamente pela população, que vê o caos diariamente nas ruas, avenidas e vielas de São Luís.

Confira a matéria do Jornal Pequeno que desmente as insinuações do secretário de Roseana Sarney, Raimundo Cutrim.

Jornal Pequeno 19/01/10

Secretário Cutrim admite que índice de assassinatos em SL é 'muito alto'

Em entrevista ontem ao jornalista Silvan Alves ("Bandeira 2", TV Difusora), o secretário de Segurança Pública do Maranhão, Raimundo Cutrim, admitiu que o índice de homicídios em São Luís (Grande Ilha) está "muito alto". "Na grande São Luís, o problema é sério em termos de homicídios. Vamos trabalhar para tentar reduzir o índice, que está muito alto", disse o secretário. No último mês de 2009 (dezembro), os assassinatos bateram o recorde do ano em São Luís: 67 mortes. Até a manhã de ontem, os casos de homicídio deste primeiro mês de 2010 já chegavam a 38, apenas um a menos do que os 39 totalizados em todo o mês de janeiro do ano passado.

Raimundo Cutrim, no entanto, voltou a sustentar que antes de ele ser nomeado - em 17 de abril do ano passado, quando o governador eleito Jackson Lago (PDT) foi cassado e Roseana Sarney (PMDB) foi posta pelo TSE em seu lugar -, esse estado de coisas era pior. "Quando assumimos, a situação era gravíssima", afirmou.

Os números não mostram isso. Conforme o Jornal Pequeno informou, em reportagem publicada em 3 de janeiro passado, o mês de abril de 2009 teve 42 assassinatos, sendo que esse número disparou para 62 em maio, já em plena gestão Cutrim. Embora tivesse caído significativamente em junho (38), o registro de crimes de morte voltou a crescer em julho (48) e agosto (56), recuou pouca coisa em setembro (55), recuou à faixa de abril em outubro (42) e novembro (41) e explodiu de vez em dezembro (67).